Áudios – Christina fala de Bionic

3

Enquanto Christina não aparece nos programas de rádio hoje, ela fala do novo álbum e outras amenidades na própria rádio, e você pode conferir agora! Dentre os assuntos, ela explica ainda porque voltou às gravações do álbum depois de Burlesque ter sido concluído, o que significa o título e a capa do álbum, e da música do Max.

No primeiro áudio, ela fala: “Eu quis dividir algumas histórias, meus pontos de vista, como eu cresci e mudei desde o último álbum. Sempre mudando e me inspirando em coisas novas e diferentes. Desde meu último álbum, eu me tornei uma mãe, uma esposa, fiz tanto depois disso – fiz meu primeiro filme, chamado Burlesque. Depois que o filme acabou, eu gravei músicas novas para o álbum porque eu senti que cresci depois do processo de filmagem. Perguntar qual minha música favorita no álbum é que impossível, escolher só uma é como escolher qual o seu filho preferido! Como fazer isso, especialmente porque cada música serve um propósito específico para mim. É a coisa mais difícil quando eu tenho que escolher umas, deixar outras de fora, separar algumas para outros projetos, porque todas se tornam como meus bebês. Cada uma tem um ritmo, sentimento e histórias diferentes, então eu me conecto pessoalmente com cada uma delas. Eu quis que esse álbum fosse divertido, brincalhão, experimentando com elementos do futuro; também fui inspirada ao ser uma nova mãe e pude ver tudo diferente, pelos olhos do meu filho. Ele traz uma sensação de futuro em tudo, no som, no visual, nas histórias, tudo pensando nas gerações seguintes, na que meu filho vai crescer e poder viver pelos próprios olhos e pontos de vista. Também tive a oportunidade de ser uma criança de novo, nossos momentos juntos são muito divertidos e essas experiência como uma mãe nova definitivamente reflete no álbum”.

No segundo áudio, ela diz que: “Uma coisa que conecta todas as minhas músicas é a honestidade delas. Eu sempre tomo a frente delas, e como artista, mudo o som e sou constantemente inspirada por novas coisas. Então eu acho que a única coisa que não muda com o tempo é que as pessoas sempre ouvem músicas que vieram do meu coração, das coisas novas que têm acontecido na minha vida e do que tem me inspirado. Coisas como ser mãe, o que tem acontecido comigo no decorrer do tempo, considerando meu passado, presente e futuro, e como eu me sinto em relação a eles em determinada época”.

No terceiro clipe, ela fala do visual para essa era e o que significa a capa do álbum: “O novo visual e inspiração para o Bionic é sobre o futuro e as variações dessa ideia. Tem um elemento sensual que eu sempre gosto de expressar e que desenvolve no correr dos anos, poder me afundar em novos personagens e sentimentos. Nesse álbum em especial, sexualidade está na frente dos assuntos que eu expresso, passando essa ideia de forte, poderosa e mais durona do que eu já fui antes, porque eu cresci e me sinto mais forte e poderosa do que já fui. Quanto mais velha, mais eu me sinto mais independente e que aprendi muito mais sobre mim mesmo. É algo muito revelador para mim, e olhar para o meu filho e focar no futuro, é sobre o fato de que eu aguento muita coisa e que, por trás de tudo, há uma máquina trabalhando dentro de mim para conseguir conciliar tudo. Essa é a ideia que eu quis passar com o nome do álbum.

Por fim, no último trecho, ela fala da faixa que fez para o Max: “Estou muito orgulhosa de muito dos títulos que bolamos para as músicas desse álbum! Temos grandes músicas e colaborações, eu consegui trabalhar com muitos novos artistas que eu sou fã. Ladytron, Sia… eu chamo o material que fiz com Sia de “o coração do álbum”. Nós fomos a um lugar muito real, honesto e orgânico, bem introspectivo e com histórias belíssimas nas músicas que gravamos juntas. Eu escrevi uma para o meu filho que soa como uma canção de ninar e se chama All I Need. É uma música música muito doce e qualquer um que estiver em um lugar especial e amoroso na vida pode se identificar nela, qualquer um que esteja em um relacionamento especial com um amor por outra pessoa. Para mim, essa pessoa foi meu filho, mas eu gosto de deixar o tema meio em aberto para que cada um coloque sua própria história e emoção na música. Eu escrevi essa faixa sobre a experiência de estar grávida e dar a luz a meu filho, uma época incrível na minha vida que sempre adorarei. Eu pude ver e amar as coisas de forma diferente desde aquele momento, nunca passei por isso antes, e o resultado foi essa música. Sia e o produtor dela, Sam, ficaram na minha casa por uma semana e foi mágico. Quatro músicas surgiram do nada em uma semana e foi um momento lindo, criativamente, eu senti que nós nos identificamos instantaneamente”.  

3 comentários

  1. Eu sabia que essa coisa “bionic” e “futurista” não tinha nada a ver com reinventar a música pop e, sim aperfeiçoar os vocias, ir em direções diferentes(futurismo). Trabalhar sempre para algo novo (Bionic).
    Por isso que eu AMO essa mulher. Sempre buscando coisas novas.
    Pode parecer cafona, mas ela me motiva a mudar sempre….

Responder

Por favor, comente
Por favor, digite seu nome