NBA! Grammy! Nova música! Novo álbum! Nick Jonas! Nicki Minaj! Miley! Bang Bang! Max & Summer! Nada ficou de fora em nova entrevista da Christina para a TIME

0

É tanta coisa bacana em uma entrevista só, que a gente nem soube como escolher uma para figurar no título! Nesse bate-papo com a revista TIME, Christina diz porque não foi ao Grammy, o que a gente pode esperar da performance de domingo (com um convidado especial!), e quem na indústria da música atual ela imaginaria em um remake de Lady Maramalade. Vamos descobrir?

Parabéns pela vitória no Grammy! Você foi à cerimônia?

Não, eu estou firme nos ensaios de dança e de vocais para minha apresentação de domingo, na abertura da NBA. É um tributo à Nova Iorque – vou ter as Rockettes comigo e um(a) convidado(a) especial. Estou muito animada com essa performance especificamente porque é o retrabalho de um material tão clássico, tão empolgante. E eu também precisei gravar uma música até tarde da noite de domingo para cumprir o prazo de uma trilha sonora, e isso acabou me impedindo de ir. Eu acho que se eu tivesse um álbum lançado agora, eu teria conseguido dar um jeito. Talvez no ano que vem! Mas eu fiquei muito feliz. Acho que os garotos foram mais vitoriosos do que eu. A intenção por trás dessa música era tão inocente, tão pura, que não precisava de mais nada – a origem foi humilde. Não tinha nenhuma fórmula ali, só honestidade acompanhada de um piano e um vocal. Foi música de verdade. Orgânica. Me deixou muito feliz ver aqueles caras tão talentosos levarem o prêmio.

Você sente falta de girar naquelas cadeiras do The Voice?

É, girar naquelas cadeiras é divertido! É uma pena elas durarem apenas a primeira parte do programa – as audições às cegas – e depois não ter mais rodopio nenhum.

Que chato.

Mas também é um momento de muita ansiedade, porque você sabe o que aqueles cantores estão passando naquele momento e acaba ficando nervoso também. Às vezes, você fica com receio de apertar o botão para não encher o seu time rápido demais, mas depois você fica nervoso porque deixou algum talento excelente passar. É um jogo cruel no fim das contas. Mas honestamente, a companhia é muito divertida. É ótimo poder rir com os caras. Eles mantém o clima hilário, e isso é muito importante. Eu me sentiria entediada nos bastidores se não voltasse e visse as loucuras do Adam e do Blake.

Você separou duas temporadas de folga para manter o foco na maternidade. Conseguiu desenvolver algum hobby novo nesse período?

Acho que nada novo. Eu fiquei firme na ioga durante a gravidez. Me mudei para uma casa nova, e isso está consumindo muito do meu tempo e energia. Desempacotar caixas, cuidar de uma neném de 5 meses – coisas da vida comum, que são incríveis. É importante manter meu pé no chão e minha honestidade na música e na arte. Nada de férias de verdade ou algo do tipo.Eu basicamente fiquei em L.A. e usei meu tempo com meu filho, minha família e comigo mesmo, compondo músicas e juntando inspiração para minhas futuras empreitadas – meu álbum sendo a maior parte delas.

Seu filho Max acabou de fazer 7 anos de idade. Quanto tempo vai demorar até ele assistir um velho clipe da Christina Aguilera no Youtube e perguntar, “mãe, será que a gente pode discutir o que aconteceu em 2002?”.

Felizmente, ele ainda não descobriu isso. Mas é um pouco assustador ver o que tem pra ele descobrir nesse mundo: alguns filmes, algumas letras de músicas que eu ouço ele ouvindo na volta para cada. Tipo, “onde você ouviu uma coisa dessas?”. De repente, eu percebo – Meu Deus, quando foi que eu virei um daqueles pais?

O que ele tem cantado que você não tem gostado?

Ah, só músicas com certas referências na letra. Pode ser algo tão inocente quanto Beyoncé até músicas sobre massa de bolo, entende o que eu quero dizer? É uma loucura. Para mim é diferente, porque eu realmente separo meu lado profissional do meu lado mãe, inclusive ouço meu filho basicamente perguntar “mãe, por que as outras crianças da escola sabem quem você é?”. Porque eu vivo literalmente de calças largas, chinelo e nada de maquiagem em casa. Essa sou eu de verdade.Então eu faço a transição para o modo artista, que eu mantenho completamente apartado. É um outro lado meu, um lado que eu faço só para mim mesma. Mesmo sendo difícil equilibrar tudo isso, é importante que seja assim. E a tecnologia hoje é tão maluca – o que você pode acessar na ponta de um dedo – é meio assustador.

Mas eu sei que na época eu tinha princípios muito valiosos para honrar, e tem um lugar e uma hora para tudo. Nos meus dias de Dirrty, eu me senti no controle, poder fazer 21 anos de idade e sair por conta própria. Eu sempre vou explicar os motivos pelos quais mamãe fez isso, aquilo ou aquilo outro.Foram muitos desses! Eu estou preparada para contar a ele quem sou eu como artista e porque ele pode viver a vida que tem hoje. É muito melhor do que a que eu tinha!

Eu vi que Nick Jonas é mentor no seu time nesta temporada; e ele, assim como você, começou a carreira dele muito novo e chocou muita gente quando mostrou um lado mais adulto. Que conselho você tem para ele?

Eu amo ver pessoas arriscando e tentando coisas novas. É ousado, e você nunca sabe como irão te receber, mas é parte de ser um bom artista e se manter fiel a si mesmo. Quer as pessoas gostem ou não, você tem que ser quem você é por dentro. Poder explorar, experimentar, e não ter medo de arriscar é, para mim, o aspecto mais importante em ser artista. Eu não gosto quando tudo fica muito seguro e a possibilidade de falhar aterroriza as pessoas. Eu sou uma que sempre jogo a segurança para o alto, e às vezes termina bem e às vezes termina mal. Mas você tem que arriscar – você tem que aceitar algumas chances e viver a vida. Meu maior medo é olhar para trás depois de tudo e dizer, “queria ter tido a coragem de fazer isso”. Até agora, eu me expus muito e essa é a beleza de poder se desafiar – olhar para o que você construiu e dizer, “uau, que bom que eu me senti confiante para fazer isso, ir ali, assumir os problemas com minhas próprias mãos e criar coragem para trazer para o meu nível”.

Anos atrás, você trabalhou com Sia antes de ela ter um grande momento no Grammy.

Estou gostando da sua pesquisa. Sia, Nicki Minaj – é, muita gente boa trabalhou em Bionic antes de as loucuras começarem a acontecer.

E fica óbvio que você tem um olho bom para ver talentos em ascensão. Se você tivesse que escolher artistas para uma versão 2015 de Lady Marmalade, quem seriam?

Miley seria uma ótima escolha para essa mistura, porque ela é excelente com riscos e sabe se divertir. Talvez Nicki Minaj. Essas duas são as que me vêm à mente instantaneamente. Mas eu achei que “Bang Bang” [com Minaj, Jessie J e Ariana Grande] foi uma ótima referência à Lady Marmalade, de certa forma. É ótimo ver essas garotas juntas – especialmente na frente da imprensa, que fica tentando nos colocar uma conta a outra. Nunca acaba, independente da sua idade. Sempre que eu puder encorajar garotas a se apoiarem e arriscarem, eu vou fazer. Eu amo isso. Por isso estou empolgada para ver o próximo grupo de pessoas.

Quanto assunto, heim? A trilha sonora mencionada por Christina provavelmente é para “Finding Neverland”, que mencionamos aqui há um tempo. E Christina tá aí, deixando a gente mega curioso para o que ela está aprontando nessa performance de domingo, no álbum, nas “outras futuras empreitadas” (o seriado de TV?), e o que ela pensa dessa garotada nova. Por mais entrevistas assim, Christina!

1 comentário

  1. Cara, ela falando do conselho ao Nick Jonas é um conselho a todas as pessoas! Por isso amo essa mulher, não só como cantora! <3 Consegue me inspirar em todos os momentos, dá pra se tirar ensinamentos em tudo o que ela fala!

  2. meu lado preferido dela: o humano. sempre deixando claro q nao é uma “diva” q anda montada em casa, mas uma mulher de origem humilde, q soube transformar a dor em força. e como é loquaz falando de tudo… The Voice sem duvidas é o lugar pra uma mulher desse naipe

  3. Tem como não gostar da Christina?!?!
    E na parte sobre BIONIC “Estou gostando da sua pesquisa. Sia, Nicki Minaj – é, muita gente boa trabalhou em Bionic antes de as loucuras começarem a acontecer.”
    Uma pena que ela performou apenas 5 musicas (??) desse album! Mas que venha o próximo! 🙂

  4. Adorei! Ela sabe q tem aquele olho crítico q enxerga longe. Adoro as respostas dela, muito inteligente.

  5. Eu acho que o convidado especial é o Jay Z, só acho rsrs ou tenho certeza, sei não viu, mas tem um 🐦🐦 falando por aí. Oremos.

Responder

Por favor, comente
Por favor, digite seu nome