Ariana Grande desabafa e faz "Can’t Hold Us Down" renascer na mídia

8

A postagem pró-feminismo de Ariana Grande nas redes sociais ontem está ganhando a imprensa – e junto, trazendo à tona a era Stripped de Christina. Já se passaram mais de dez (dez!) anos desde o lançamento do single “Can’t Hold Us Down”, que, dentre os cinco singles de Stripped, teve o segundo melhor desempenho na Billboard (perdendo apenas para Beautiful) – mas, mais do que um número no ranking de mais vendidos, o single deixou marcado também a mensagem a que se propôs.

E assim, com o desabafo de Ariana, publicações como o Washington Post se lembraram de Can’t Hold us Down na hora de repercutir a matéria. O site do canal E!, no entanto, não deixou mesmo o álbum Stripped passar em branco:

Veja como o discurso feministaa de Ariana Grande ecoa o que Christina Aguilera pregava em seus dias de “Stripped”

Ariana Grande está seguindo os passos feministas de Christina Aguilera.

Durante o final de semana, a cantora de 21 anos de idade compartilhou um poderoso discurso destinado a apoiar o direito das mulheres e o girl power. (…)

É um ponto de vista que pode parecer familiar aos fãs de Christina Aguilera que a seguiram desde os ousados dias do álbum Stripped. A começar porque a opinião de Grande sobre o comportamento ambíguo da sociedade é praticamente uma reprise da letra do sucesso “Can’t Hold Us Down”, de Xtina.

Aguilera ainda disse sobre a música, em 2002, que “é direcionada a qualquer homem que tenta repreender a opinião segura de uma mulher. Definitivamente, a intenção é fazer as mulheres se sentirem confiantes para fazer e dizer o que quiserem”.

Anos depois, Aguilera exemplificou à revista Maxim o comportamento ambíguo da sociedade, dizendo: “Imagine se uma mulher lança um álbum com a palavra “sexo” no título, como “FutureSex/LoveSounds” de Justin Timberlake. Ao invés de se sentir segura, ela seria rotulada – o que não significa que eu não faria isso.”

É curioso ver que o single, lançado há tanto tempo, ainda trata de um assunto de maneira tão contemporânea; e Ariana, que hoje tem a idade que Christina tinha na época que gravou o álbum, também se sentiu estimulada a servir de porta-voz para o mesmo assunto.

E Stripped, mais uma vez, nos dá outra amostra de como deixou sua cara na indústria musical e é sempre lembrado nos mais diversos assuntos que abordou – desde as transformações liderada por Dirrty até a mensagem inspiradora de Beautiful, seus singles mostram até hoje que tinham mais do que mero potencial comercial para estourar nas paradas: traziam consigo, também, uma mensagem.

8 comentários

    • Verdade, e mesmo quando ela coloca nos álbuns, ela prefere trabalhar singles vazios como “Not Myself Tonight” e “Your Body”…

  1. fiquei aqui pensando… Ariana c a msm idade da Xtina na época… não tem nem metade da atitude,beleza e poder vocal da Xtina na fase Stripped…

  2. “Stripped” é um álbum que com passar dos anos nunca se esquece e que esta sempre pretençe, e as músicas em si continuam “tão frescas” como se o álbum tivesse sido lançado no ano passado, por isso que “Stripped” é O MELHOR ALBUM da Xtina para mim e pelas mensagens que estão escritas.

    “Stripped” é o álbum da minha vida praticamente :)!!!!
    “Stripped” é o melhor álbum que o mundo tem!!!

  3. Realmente, Stripped é historico, Christina e nós nao temos pq esperar q ela faça um album q o supere, pois é impossivel…um album em que absolutamente qq pessoa consegue encontrar respostas em momentos dificeis, ou qdo se esta confuso…uma musica pra cada movimento, cada mudança na vida…o engraçado é q hj em dia, entendendo tanto o album como entendo e tendo “digerido” ele tao bem, eu preciso ter um motivo pra ouvi-lo…digo, nao consigo ouvi-lo sem me conectar totalmente como faço com o debut e as vezes com B2B…só escuto Stripped qdo sinto q realmente tudo ta desabando, sei lá, chega a ser ironico, pq depois q escuto, parece q saio renovadp, e encontro SEMPRE aquilo q preciso p seguir em frente…com certeza é uma das “coisas” mais importantes da minha vida…(só acho q “I Will Be” deveria ter entrado no album, no meu mp3 ela fica depois de “Keep On Singin’ My Song” e só escuto qdo tô na merda total, pq traduz absolutamente td a minha vida)…

    Uma prova viva de que o album é inigualável…Lotus…é inegavel a semelhança e influencia de Stripped no album de 2012…principalmente pelo fato de a propria Xtina ter tido q o album seria um Stripped 2.0…até a capa dos albuns possuem certa semelhança…independente de qq coisa amo Lotus…

Responder

Por favor, comente
Por favor, digite seu nome