Fragrâncias de Christina devem mudar de marca em breve

2

Talvez esteja explicado o motivo pelo qual, supostamente, a fragrância que Christina lançaria neste ano foi adiada para 2016: a P&G está concluindo a operação de venda de grande parte de seus produtos, incluindo a linha de perfumes e cabelo.

Vocês devem lembrar quando postamos o começo desta história, em outubro do ano passado. Na ocasião, foi destacado que a P&G estava leiloando mais de 100 marcas de sua linha de produtos para redirecionar o foco da empresa.

Agora, as notícias sobre as conclusões do negócio estão tomando forma. Ao que parece, a Duracell foi vendida há alguns meses – e agora, a linha de beleza da P&G também acaba de ganhar um novo dono: a marca Cotys, que já detém as fragrâncias Calvin Klein e Marc Jacobs.

Segundo notícias especializadas, a Cotys abocanhou a linha de beleza da P&G por 12 bilhões de dólares (!) e com isso se torna uma das maiores empresas especializadas do mundo. Os sites não mencionam todos os produtos vendidos, mas dizem que o negócio inclui “fragrâncias como Hugo Boss”.

Por conta dessa transação, a P&G deixará de faturar mais de 6 bilhões por ano. As reportagens que encontramos deixam claro que as marcas vendidas não davam prejuízo – o movimento é parte de uma grande reestruturação empresarial da P&G para que o foco da empresa seja concentrado em marcas maiores como Gilette e Pampers.

Ainda não sabemos o que isso representa para as fragrâncias de Christina. A linha “Christina Aguilera” pode sofrer uma completa repaginada, para maior ou menor, ou simplesmente não sofrer nenhum impacto. É o que vamos descobrir, aparentemente, em 2016.

2 comentários

  1. Tomara que nada mude, se bem que as linhas de perfume da Christina fazem bastante sucesso!! Então acho que nada vai mudar…

Responder

Por favor, comente
Por favor, digite seu nome