Nosso passado, nosso futuro e os seus comentários

20

“Mas iloveaguilera não estava disponível?”. Essa foi a principal pergunta que encheu nossas redes sociais quando anunciamos o projeto myChristina. Invariavelmente, as pessoas que acompanham nosso Twitter, Facebook e Whatsapp questionaram a mudança de nome (alguns de forma mais acalorada do que outros), e eu prometi, como resposta, que abordaria esse assunto no Editorial deste mês de outubro. Afinal, é o primeiro mês nesta nova casa e imaginamos que seria apropriado abordar aqui essa pergunta que pareceu tão evidente.

Para responder, achei importante começarmos com um breve histórico do ilove voltando até o nosso nascimento, em agosto de 2009, quando Tamis Ueda ainda tinha 14 anos, a pobrezinha.

A ideia surgiu quando eu passei por uma comunidade da Christina no Orkut e vi que uma enxurrada de boatos estava sendo postada como notícia oficial. Naquela época, o Twitter estava começando a crescer no Brasil e, no impulso, decidi criar algo rápido para postar as notícias de outra forma, dentro do espacinho de 140 caracteres. Como eu achava que o projeto daria errado e morreria logo nos primeiros meses, não me preocupei com o nome. Mandei um “iloveaguilera” porque foi a primeira coisa que me veio à mente que cabia dentro do limite do Twitter e passei a postar.

Já ouviram dizer que “o texto ficou longo porque não tive tempo de fazer algo mais curto?“. É bem assim mesmo, colocar as notícias em um tweet demandava um tempo descomunal, era uma tarefa sofrível. Assim, em dezembro, eu descobri o blog do WordPress e decidi criar um espaço para postar as notícias lá. Mantive o nome por coerência e dali para frente começamos a ganhar visibilidade dentro da comunidade da Christina na internet.

A bem da verdade, depois de tanto tempo, é que o ilove ficou bem maior do que eu imaginava que seria em sua concepção. E, durante todo esse período, eu tive que conviver com esse nome que eu detestava e que havia criado por impulso sem nenhuma pretensão. Então, quando decidi criar um site e deixar o ilove para trás, mudar de nome era uma das minhas principais metas. Eu sabia que tinha virado uma espécie de costume entre os fãs, assim como tinha plena consciência de que qualquer outro nome ia esboçar reação negativa, mas era algo que particularmente me incomodava. Não me incomoda, claro, ser referido como ilove. Mas o tal do aguilera no fim, esse sim, me causava estranheza.

Isso porque, não me lembro, em toda minha vida de fã, de ter me referido à Christina como somente Aguilera. É sempre Christina. Não uso o sobrenome dela para nada e, embora saiba que alguns fãs a chamam assim, presumo que sejam minoria. O nome Christina é suficiente por si só, e eu queria ele sendo a referência do nosso novo nome.

Além disso, eu queria causar mesmo uma ruptura entre nossos dois períodos: o iloveaguilera foi aquele blog completo que eu criei com tanto carinho e que chegou ao fim de sua vida por uma série de motivos. Quero que, quando a gente fale sobre o ilove, fique claro que é aquele período entre 2009 e meados de 2015. O myChristina é vida nova que vamos criar daqui para frente, com o mesmo conceito mas com alguns bônus que espero ficarem evidentes daqui para frente (um deles envolve a inclusão de mídias em nossas páginas, que finalmente é possível fazer de forma integrada!).

Pois bem, decidido que eu queria mudar o nome e incluir o nome da Christina no site, veio outra batalha: a primeira, é que o ilove acabou virando um nome inconfundível entre os sites, tem aquele gostinho especial. Eu queria que o novo nome também tivesse isso e evitasse ser algo genérico.com.br; queria que ele mantivesse aquele som peculiar que passaria a ser só nosso. E aí, precisava depois fazer uma série de testes: se estava disponível nas redes sociais; se estava disponível nos domínios .com OU .com.br (muitos só estavam no .net.br ou afins, ou até mesmo precisavam que eu inserisse observações impraticáveis no endereço, como um hífen, um número, um br solto, etc). Eu juro, conciliar isso tudo não é fácil.

Agora, passadas algumas semanas, estamos aqui! Eu já estou montando a página de discografia de álbuns (que o pessoal do nosso Facebook já pôde testar!) e fazendo algumas alterações menores por aí. E nessa trabalheira toda, estou contando com a ajuda de vocês que têm me informado sempre que algum errinho tem acontecido….

E aí, entramos no último assunto: nosso canal de comunicação no site!

Muito sugeriram a inclusão do Disqus no nosso sistema de comentários e eu queria ouvir de vocês o que acham desta ideia. Tem algum prós específico ou algum contra relevante? Por que inserir? Por que não inserir? Se vocês puderem contribuir, seria muito bem vindo!

Fico no aguardo, ok?

– ilove.

20 comentários

  1. Sou totalmente a favor da inclusão do Disqus. Acredito que boa parte dos usuários do facebook, twitter e tumblr, se acostumaram com os famosos “menes”, que dá vida ao seu comentário. O Disqus além de poder colocar fotos no comentário, é possível também incluir gifs. E fica mais divertido e interessante ler os comentários!

  2. Eu apoio a mudança, Ilove. Eu lembro, há uns anos atrás, de ter lido você falando que o nome do blog não foi bem “escolhido”, mas sim o que veio primeiro à cabeça, despretensiosamente.
    Mudanças sempre trazem resistência, principalmente quando a gente já estava tão bem acostumado lá no WordPress, mas eu acredito que, com o tempo, o pessoal vai amar e vai até esquecer que um dia estranhou a mudança.
    O Disqus é prático e rápido, mas algo que funciona muito bem é um combo: ter também o sistema de comentários do Facebook vindo logo antes do Disqus.

  3. Eu também sou a favor da mudança, iria melhorar a interatividade dos usuários e ficaria bem mais divertido. assim os comentários seriam bem mais visíveis e chamativos…. <333333

  4. Eu amei a casa nova,o conceito novo,o novo nome tudo… Está de parabéns! Olha, particularmente eu não acho uma boa ideia colocar essa forma de comentários, a página fica infestada de gifs e imagens, montagens, fica muito pesada e o meu medo é os comentários daqui deixarem de ser inteligentes como são e passarem a se resumir em uma disputa de memes e um tentando ser mais engraçado que o outro. De qualquer forma, torço pra que tudo dê certo e agradeço ao trabalho no antigo blog e no novo e maravilhoso site!

  5. Ilove, sabe como você posta as notícias no tumblr também?! Não poderia continuar postando no Ilove também, ler o wordpress no iPad é tão melhor que em um endereço de web.
    Apoio a mudança, e sim ao disqus. Bjs

  6. Ainda bem que pode continuar chamando de Ilove. ❤
    Seria legal ter Disqus, mas como já comentaram aí em cima. Tenho medo de bagunça, eu leio sempre os comentários e não queria que virasse aquela bobeira como acontece nas comunidades.

  7. EU amooooooooo o Aguilera.. sei lá.. tem algo de diva nesse nome que me faz amar demais!! Você não gosta pq é homem rsrs

  8. Eu acho o nome Aguilera massa(giria da minha regiaovpra algo legal rs)… mas acho esquisito chamar ela assim rs…

  9. Olha ilove! A respeito desse disqus não vou comentar, pois sou meio leigo nessas modernidades. Mas, eu não poderia deixar passar em branco a nova discografia. Já andei olhando e como sempre, muito curioso para ver o resultado final 😊😊😊

  10. Disqus é vida! Vai dar maior popularidade ao site! Ilove vc é d+. Já foram duas eras acompanhadas por aí e quero acompanhar muitas outras que virão.

    P.S. Mexe no topo do site, tá? O ilove tava destruidor com a Xtina deitada na ELLE Brasil.

  11. nem sei oq é esse disqus, então fico sem opinião a respeito.

    adorei o editorial e mega curioso pra saber quais eram os outras opções de nome rs o site está ótimo 🙂

  12. Boa tarde myChristina, apoio na inclusão do Disqus. Da pra postar memes e gifs, bem bacana. Ou simplesmente deixar uma opção para comentar com o Facebook, assim da pra gente consequir e conhecer as pessoas que comentam aqui com a gente 😉 as gatas e os gatos!

  13. Olá galera, acompanho o iLoveaguilera há anos e com toda a sinceridade não gostei do novo site, tudo muito bagunçado, poluído e nada intuitivo. Se abrir o antigo e o novo para comparação, parece que o iLove é o novo. Como publicitário deixo aqui também minha crítica sobre a mudança de nome, um erro. O site/blog já era consagrado, quantas pessoas sem ser fã e por já terem escutado falar algumas vezes no nome do site já chegaram e me disseram, “abre o iloveaguilera lá para me mostrar o que havia comentado sobre a Christina”. O nome “grudava” com facilidade na cabeça das pessoas. “MyChristina” não soa com a mesma facilidade. Pensar em algo mais pessoal é interessante para justificar a troca de nome, mas também é importante pensar no público que acessa esse blog/site, parece que isso ficou em segundo plano. É a mesma coisa que cuidar de uma marca, do nome, do logotipo, do público que consome e etc. Será que a mudança assim como explicada e justificada nesse texto compensa o risco? Por hora sim, talvez porque não exista nenhum outro brasileiro para competir na mesma altura. Espero que melhorem, continuo na torcida pelo sucesso de toda uma reconstrução.

Responder

Por favor, comente
Por favor, digite seu nome