Christina fala sobre violência doméstica e próximo álbum

3

A entrevista já aconteceu há algum tempo, mas foi só agora que a Forbes decidiu divulgá-la. Focado em violência doméstica com uma breve menção ao próximo álbum, o bate-papo aconteceu no evento que a Verizon fez para divulgar o programa HopeLine, do qual Christina faz parte. Confira:

O que fez você querer se envolver com essa campanha?

A violência doméstica é uma experiência muito difícil, eu sei em primeira-mão como isso pode deixar uma pessoa vulnerável. É por isso que eu quis me envolver com a HopeLine da Verizon, quero incentivar as pessoas a tomarem atitude contra a violência doméstica.

Como a violência doméstica afetou você e as pessoas que você ama?

Quando eu era mais nova, eu vi atos de violência dentro da minha própria casa e até na vizinhança onde eu morava. Eu sei que não sou a única pessoa que enfrentou esse nível de dor e traição causados pelo abuso e pela violência. Por isso eu acho importante levantar a voz em apoio à conscientização e incentivo contra essa tipo de violência.

Qual o seu conselho para as mulheres (e homens) que sofrem com a violência em casa?

Por incrível que pareça, vocês não estão sozinhos neste problema. Mulheres, homens e crianças são infelizmente vítimas da violência doméstica. Meu único conselho é não ter medo de contar essa situação para alguém nem de buscar ajuda.

Qual é o próximo passo para você na música? Algum trabalho para breve?

Eu tenho trabalhado no meu álbum e estou muito empolgada para que meus fãs possam ouvi-lo. Para mim, é importante fazer a música com tempo e colocar meu coração dentro de todos os meus álbuns.

Como é trabalhar com Pharrell?

Pharrell é incrível. Ele é muito espiritual e você só consegue sentir uma sensação de calma e paz quando está com ele.

Agora que você já fez The Voice e Nashville, gostaria de fazer mais trabalhos na TV?

Eu nunca digo nunca para nada. Meu objetivo é sempre evoluir, experimentar coisas novas e, apesar de a música ser meu primeiro amor e paixão, quero explorar muitas outras áreas, desde a atuação até a produção.

3 comentários

  1. Será que ela vai abordar novamente esse tema no próximo album, porque apesar de eu achar importante, mexer nas feridas é triste né. E ela está em um momento tão bom, tão feliz. Creio que vai ser divertido, mas confesso que gostaria muito que ela fizesse mais músicas ao estilo de cruz, soar, the voice within, mercy on me, save me from myself, i am, you lost me… Simplesmente amo este lado mais vulnerável, diva… Essa ansiedade ainda me mata *.*

Responder

Por favor, comente
Por favor, digite seu nome