Christina não aprova venda da marca de perfumes para a Coty’s e causa desconforto na P&G

11

Oh-oh. Ao que parece, a mais premiada marca de perfumes lançados por uma celebridade está sob ameaça.

Em 2014, noticiamos aqui que a Procter & Gamble (“P&G”) estava passando por uma gigantesca reestruturação comercial que envolvia o leilão de grande parte das suas mais famosas marcas (ao todo, 100 delas, incluindo nomes como a Duracell, foram colocadas à disposição de terceiros). Em 2015, a história deu o passo seguinte: a divisão de beleza havia sigo negociada e comprada pela marca Coty’s, o que incluía as operações de perfume da P&G.

Hoje, um dos sites da rede de notícias do USA Today noticiou com exclusividade que, a despeito da vontade da P&G em sair do mercado de fragrâncias, duas de suas marcas não aprovaram a assunção do controle pela Coty’s e deverão continuar sob os cuidados da Procter & Gamble, com quem os contratos de licença foram originalmente firmados:

A divisão de perfume da P&G vale 2.5 bilhões de dólares mas opera com nomes licenciados, e dois deles, Dolce & Gabbana e Christina Aguilera, não aprovaram a transação. “Acordamos que essas marcas então não serão transferidas nesta fusão”, disse a Coty.

A Coty confirmou que ainda assim assumirá a licença das outras 10 marcas, incluindo a Hugo Boss, Gucci e Lacoste. A companhia também assumirá os débitos associados à divisão de perfumes da P&G e divulgará o valor tão logo informado. A P&G se manifestou dizendo que continuará trabalhando com os proprietários das outras duas licenças, mas destacou que quer sair definitivamente do mercado de perfumes. “Nós trabalharemos com as duas marcas que não consentiram com a aprovação em quais serão os próximos passos, dado que deixamos claro nossa intenção de sair do mercado de fragrâncias”, disse o porta-voz da P&G.

A frase atribuída ao porta-voz da P&G parece deixar claro que os perfumes de Christina devem chegar ao fim em breve. Desde 2007, a linha Christina Aguilera recebe lançamentos anuais e faz estrondoso sucesso na Europa, onde coleciona uma impressionante reputação nas premiações especializadas. Esse impasse deve explicar também o lançamento fora-da-curva da fragrância do ano passado, lançada no meio dessa transação: pela primeira vez, o material promocional, o comercial e a sessão de fotos reciclou imagens usadas em projetos anteriores.

11 comentários

  1. Meu Deus e agora, o que vai acontecer com a linha dos perfumes. Será que vão mesmo parar? Crueldade se for, são os melhores perfumes que já usei, amo todos e é difícil uma linha inteira ter perfumes tão bons. Fora que é o único lançamento anual da Christina. Porque será que não aceitaram, talvez se aceitassem não precisaria encerrar a linha né. É um pecado isso acontecer. 😟

  2. Onde Posso achar os perfumes por aqui? Meu estado? Só vejo o primeiro pela jequiti, pela Internet é bem mais caro

  3. iLove, não sei se você viu, mas o vídeo de I’m Ok, no Essentials, dá como: “Sorry, this video does not exist”.

Responder

Por favor, comente
Por favor, digite seu nome