Álbuns | Pressione play no retorno de nossa discografia!

24

Olha ela! Às vésperas do aniversário de um ano do myChristina, finalmente conseguimos começar nosso processo de migração das páginas de nosso site – e nosso menu aí em cima deve começar a enriquecer nos próximos dias.

Antes de falar da seção, no entanto, eu queria só fazer uma pontuação rápida sobre dois outros assuntos que também estamos resolvendo: Arquivo de notícias e Comentários. Eu não sei quantos de vocês haviam reparado, mas quando migramos o arquivo do ilove para cá, ficamos com um gap de mais ou menos dois anos nas notícias: praticamente todo o ano de 2012 e grande parte dos anos de 2013 e 2014 ficaram para trás. Eu finalmente consegui concluir a migração desse vazio (nesse momento, estou fazendo upload dos últimos 4 meses faltantes). Aconteceu que nosso arquivo é muito grande, principalmente nessas épocas, e o site não conseguia receber tudo sem corromper nada. Mas enfim – problema resolvido. Agora o mychristina está com 100% do arquivo de notícias do ilove. Yay! Só não notem as categorias de notícias por enquanto. Elas também são importadas com as notícias e precisarei repassar uma a uma para condensar nas categorias existentes no site.

Com relação ao novo sistema de comentários: eu coloquei o Disqus em teste há algumas semanas e notei duas situações: primeiro, que antes eu precisava concluir a migração das notícias, senão os comentários a elas referentes não seriam incorporados ao Disqus se eu o instalasse primeiro. Segundo: Nosso arquivo está com 75 mil comentários, ou seja, a migração deles ao Disqus também está um parto. Por isso, não lancei o novo sistema ainda até conseguir superar essas falhas “técnicas” desse que vos escreve.

Agora sim, feita essa introdução, vamos falar da discografia.

disconova

Quando eu lancei o myChristina, confesso que tinha a esperança de fazer algo bem ousado no visual das nossas páginas até a realidade bater à porta e jogar a expectativa no lixo: eu não sei como fazer nem sei se quero. Eu tentei de todas as maneiras fazer algo legal, mas além da minha (in)competência técnica, esbarrei de novo no tamanho do nosso backlog: o ilove tem quase 200 páginas de seções (!) e é praticamente impossível eu dedicar meses a cada um delas. Logo, percebi que é por isso, talvez, que esses sites lindos de outros artistas raramente consigam completar seu contéudo – e entre o visu e o conteúdo, preferi priorizar esse último.

Aí veio outra situação: mesmo com o layout mais simples, a tal de responsividade precisava de atenção. Eu construo as páginas no PC mas 80% do nosso tráfego vem do celular ou do tablet – ou seja, o site tem que ser agradável para navegar em dois dispositivos que não são os que servem de base para sua construção. Então, eu comecei a perambular por sites de outros artistas e estudar a seção de discografia deles, notando algo em comum a todas elas: nenhuma tinha um layout muito trabalhado – todos prioprizaram uma página em branco, genérica, com as informações e só (possivelmente para facilitar a adequação a outros visuais). Prática e eficiente – e foi assim que eu decidi manter também essa mesma linha de trabalho.

Obviamente, a facilidade de integração de outras mídias que o myChristina tem em relação ao iLove nos permitiu fazer uma pequena gracinha na página de discografia: disponibilizar trecho de todas as músicas para ouvir online, mesmo as que ficaram de fora dos álbuns. Eu não posso colocar músicas inteiras, mas acho que esse catálogo vai ajudar bastante os fãs que ainda não descobriram tudo o que foi produzido por Christina em cada um de seus discos 🙂

Basicamente, é isso. Apenas a seção de ÁLBUNS foi concluída por enquanto, e você pode checá-la clicando aqui ou selecionando no menu acima. Espero que gostem!

24 comentários

  1. que trabalho excelente com curiosidades e samples! Isto é o melhor site de notícias da Christina. Venho cá todos os dias:P

  2. Ótimo!
    P.S: Na página dedicada ao Bionic, no tópico “Empurrados para o Deluxe”, tá escrito “ficou de fora da verão normal do álbum”.

  3. Li tudo! Analisando a discografia dela, ao meu ver, os erros ESPECÍFICOS, foram:

    “Keeps Gettin’ Better: A Decade Of Hits”: Essa compilação desgastou um pouco a imagem dela. Isso é algo pra se fazer em um final de carreira. Coincidentemente, ela não fez muito sucesso depois. A música “Keeps Gettin’ Better” teve potencial, poderia esperar mais um pouco e ter sido adicionada no “Bionic”.

    “Bionic”: Se bagunça tem sinônimo, deve ser bionic. Xtina adotou um conceito e fugiu dele durante o disco. O falatório pré-lançamento na época, foi um erro enorme da gravadora. Um trabalho com ideias teoricamente novas, não pode ser difundido na mídia como uma farofa em potencial. Electro/future/pop foi algo ariscado demais. Singles mal aproveitados lançados em épocas erradas.

    “Lotus”: Deveria ter sido um EP. Simples assim. Lotus Intro, Army of Me, Your Body, Let There Be Love, Just a Fool e Light Up the Sky. Vibe legal, sem mimimi. Acabou.

    • Já os erros RECORRENTES, são:

      Xtina tem uma dificuldade de valorizar o próprio trabalho. E como se faz isso? Colocando no disco o que a maioria das pessoas saberão cantar. Não encher linguiça. Ela grava algo e lança como álbum. Muitos artistas simplesmente se recusariam a fazer isso. Metade das músicas do “Mi Reflejo” e “My Kind of Christmas” são ruins. Poderiam ter sido EP’s. Trabalhos medianos desvalorizam a discografia do artista. Pode-se relevar, pois foi início de carreira, ela não “mandava”. Lembro da época que lançaram “Stripped”. Tirando a Billboard, o disco foi mal recebido por todos os críticos das grandes revistas. Li muito machismo na época, mas li algo também sobre o excesso de músicas. Poderia ter sido um álbum enxuto. Será que a gravadora e a Xtina não sabem que os críticos analisam a importância de cada música para o disco e colocam tudo numa balança depois? (intro e Interlude contam como músicas avaliadas). Ainda bem que o álbum é visto como uma bíblia do pop por influenciar novos artistas. “Back to Basics” é o melhor trabalho da nossa pequena. Mas não passou ileso. Teve críticas (de novo), pelo excesso de músicas, e principalmente pela faixa “F.U.S.S.”. Choveu de críticos chamando Xtina de infantil. “Bionic” com um conceito mais “light”, com menos músicas e sendo lançado de surpresa, seria bem mais respeitado pela mídia. Infelizmente virou piada. Palavras de uma verdadeira fã para uma artista que precisa valorizar mais o dom que Deus a proporcionou.

      • As coisas só funcionaram bem até a era B2B mesmo. Se pensarmos em Beyoncé, ela sempre arrasa, pois sua equipe só tem os melhores. Xtina é mais pessoal. Concordo com o fato do excesso nas canções, essa mania de colocar introduções e tal, mas é a marca dela, não é justo querer regular o artista nesse ponto. Bionic teve muitos impedimentos: gravadora, separação, Burlesque, Lady Gaga, Perez Hilton… O Lotus, ficou bem abaixo mesmo dos demais. Nunca pensei nessa ideia do EP. Funcionaria (pelo menos ela sairia por cima), mas a gravadora não deixaria. Mas não adianta discutir passado. Bola pra frente. e vamos ter fé!

        • Beyoncé é uma entertainer. Precisa de pirotecnia, dançarinas, telões, super produções… É obrigação dela ter os melhores ao seu lado. Xtina é uma vocalista única. Dê um microfone e ela fará o serviço. O que ela precisa, é parar pra refletir sobre sua música e a forma como ela é apresentada. Em “Say Something” ela não fez um esforço sequer, e vendeu 4.2 milhões de cópias, coisa que Mariah, Beyoncé, Britney, e nenhuma outra de sua geração conseguiu até agora. Sam Smith declarou que sua música preferida de Xtina, é “Save Me From Myself”. Leiam os comentários no YouTube de Xtina cantando “You’ve Got a Friend” com Alisan. Enfim, não preciso dizer mais nada kkkkk
          Vamos ter fé mesmo!

  4. Eba! No final de semana vou apertar muito o play e ler página por página, tópico por tópico. Mas, pelo comentários já notei que você, ilove, já se superou como sempre. Parabéns!

  5. Nunca vi um portal sobre artista também bem organizado e rico em conteúdo como o myChristina. Te acompanho desde o início do iLOVE e só tenho tido surpresas felizes com o passar dos anos. Só ainda não superei a biografia não ter ganho continuação, que com certeza é a mais completa sobre a Xtina! Muito obrigado e parabéns! Com certeza nossa baixinha ficaria orgulhosa. <3

  6. Gente, eu lembro como se fosse ontem quando o iLove fez aquela brincadeirinha no blog e eu achei que alguem tinha invadido e xinguei horrores no face hahahaha desculpa iLove, ficou mara

  7. Ilove, estou lendo a discografia de Stripped e no tópico de singles, o lançamento de Fighter e CHUD é o mesmo ou seja 03/06/2003.

  8. Ilove, no tópico de Edições regionalizadas do álbum Bionic a um pequeno errinho na escrita. O título compreende “Verão” Censurada (china)

Responder

Por favor, comente
Por favor, digite seu nome