Back to Basics (11/08/2006)


Tracklist (Disco 1)

  1. 1. Intro (Back to basics) Back to Basics (Disco 1) 0:20
  2. 2. Makes me wanna pray Back to Basics (Disco 1) 0:20
  3. 3. Back in the day Back to Basics (Disco 1) 0:20
  4. 4. Ain't no other man Back to Basics (Disco 1) 0:20
  5. 5. Understand Back to Basics (Disco 1) 0:20
  6. 6. Slow down baby Back to Basics (Disco 1) 0:20
  7. 7. Oh mother Back to Basics (Disco 1) 0:20
  8. 8. F.U.S.S. Back to Basics (Disco 1) 0:20
  9. 9. On our way Back to Basics (Disco 1) 0:20
  10. 10. Without you Back to Basics (Disco 1) 0:20
  11. 11. Still dirrty Back to Basics (Disco 1) 0:20
  12. 12. Here to stay Back to Basics (Disco 1) 0:20
  13. 13. Thank you (dedication to fans...) Back to Basics (Disco 1) 0:20

Tracklist (Disco 2)

  1. 1. Enter the circus Back to Basics (Disco 2) 0:20
  2. 2. Welcome Back to Basics (Disco 2) 0:20
  3. 3. Candyman Back to Basics (Disco 2) 0:20
  4. 4. Nasty naughty boy Back to Basics (Disco 2) 0:20
  5. 5. I got trouble Back to Basics (Disco 2) 0:20
  6. 6. Hurt Back to Basics (Disco 2) 0:20
  7. 7. Mercy on me Back to Basics (Disco 2) 0:20
  8. 8. Save me from myself Back to Basics (Disco 2) 0:20
  9. 9. The right man Back to Basics (Disco 2) 0:20

  • O Disco 2 contém um vídeo mostrando os bastidores das gravações do álbum e sessões de foto. A versão do iTunes contém, além desse vídeo, um vídeo extra mostrando os bastidores das gravações da faixa “The Right Man”

Músicas reeditadas

  1. Candyman (Squeaky Clean Radio Edit) Single/Radio (Versão censurada) 0:20
  2. Candyman (Radio version) Single/Radio 0:20
  3. Here to stay (Pepsi Edit) Inédita/Lado-B 0:20

Samples

Intro (Back to basics) contém trechos de The Thrill Is Gone (B.B. King, The Crusaders e The Royal Phil. Orchestra).
Makes me wanna pray contém trechos de Glad (Steve Winwood, Trafic)
Back in the day contém trechos de Charley (Don Costa) e Troglodyte (The Jimmy Castor Bunch)
Ain’t no other man contém trechos de Hippy Skippy Moon Strut (Moon People) e The Cissy’s Thang (The Soul Seven)
Understand contém trechos de Nearer To You (Allen Toussaint, Betty Harris)
Slow down baby contém trechos de Window Raisin’ Granny (Gladys Knight and the Pips) e So Seductive (Tony Yayo)
Oh mother contém trechos de Vois Sur Ton Chemin (Bruno Coulais, Christophe Barratier)
On our way contém trechos de Sentimentale (Claude Bolling)
Here to stay contém trechos de The Best Thing You Ever Had (George Henry Jackson e Candi Station)
Thank you contém trechos de Genie In A Bottle e Can’t Hold Us Down (Christina A.) e Think Big (Pudgie The Fat Bastard e Notorious B.I.G.)
Candyman contém trechos de Tarzan & Jane Swingin’ On A Vine (Run To Cadence With The U.S. Marines Vol. II)

Singles

Ain’t no other man
Lançada em 03/06/2006

Hurt
Lançada em 18/09/2006

Candyman
Lançada em 05/02/2007

Bastidores e curiosidades

Decisão criativa x comercial

Christina não começou as gravações com a ideia de fazer Back to Basics um álbum duplo, mas na medida em que os trabalhos foram tomando forma, percebeu que seu conceito estava dando origem a duas sonoridades diferentes. Assim, decidiu também organizá-lo em dois discos. Ela teve que lutar contra a gravadora para conseguir lançar um álbum duplo, pois sabia que ao fazer isso, daria um tiro no próprio pé: álbuns duplos são mais caros de serem produzidos e por isso o preço nas lojas refletiria esse aumento, além de demandarem do consumidor o tempo e a vontade de ouvirem um trabalho relativamente longo. De fato, o álbum chegou às lojas com preço elevado quando comparado ao de seus concorrentes da época. Christina define essa decisão como uma escolha criativa em sacrifício de uma escolha de negócios. A RCA relutou, mas segundo o ex-presidente da gravadora, Clive Davis, os executivos cederam porque o histórico de vendas e o comprometimento de Christina com o trabalho mereceu ser recompensado.

Trouble

Na faixa multimídia do álbum, Christina pode ser vista gravando uma parte não utilizada em I Got Trouble, com a seguinte letra: “Just no stoppin’ me, no. ’Cause I’m bad bad to the bones” . A música foi gravada enquanto Christina estava gripada, utilizando um microfone antigo da coleção de Linda Perry para dar mais autenticidade ao som – microfone este que era usado para gravar o som grave de bateria, e não vocais. Para dar maior autenticidade ao som que pretendiam reproduzir, elas tiveram a ideia de cobrir esse microfone velho com um pedaço de pano para dar o som abafado à faixa, de modo que não precisariam alterá-la digitalmente para reproduzir a qualidade dos anos 20.

Barganha

Mark Ronson produziu uma faixa demo que despertou o interesse de Christina e Linda Perry. Com a demo nas mãos, a dupla selecionou duas notas específicas da melodia, que se repetiam o tempo inteiro, e sobre ela construíram a música Hurt. O restante deu origem à Welcome. “Duas músicas pelo preço de uma”, brincou Ronson sobre a venda da faixa demo. As letras de Hurt surgiram quando Christina sugeriu que gostaria de escrever uma música sobre perda e arrependimento, mas não sabia como. Linda Perry liderou a composição sobre a melodia de duas notas e alcançou um resultado extremamente pessoal, pois tinha acabado de perder o pai. Christina fez alguns ajustes na letra para deixá-la mais abrangente e foi assim que nasceu a música como conhecemos hoje.

Convite

Quando Christina convidou produtores para participarem do álbum, ela enviou a eles dois CDs com músicas antigas, compilados por ela mesma, com o intuito de que eles entrassem no clima e entendessem a visão e o conceito que ela havia traçado para o trabalho. Algumas das faixas eram, inclusive, bem obscuras, pouco conhecidas. Christina disse ao TRL no começo de 2006 que para trazer o álbum à vida, recusou várias faixas excelentes de bons produtores simplesmente porque elas não se encaixavam no conceito do disco.

Fuck you, suck you

Segundo uma entrevista da Christina à revista Maxim em 2007, ela e Linda Perry gravaram uma música chamada “Fuck You Suck You”, que é muito erótica e suspirada. Elas nunca tiveram a intenção de lança-la: a música foi criada por diversão em uma sessão mais descontraída. Linda até sugeriu que elas lançassem a faixa na internet sob o nome de um artista falso, mas Christina preferiu guardar a música só para ela e para os amigos ouvirem e dar risada.

Disco 1 x Disco 2

Praticamente todas as músicas do Disco 1 trazem samples de músicas mais antigas, desde pequenas linhas que poderiam passar despercebidas pelo ouvinte até todo o background instrumentalizado. O Disco 2, por seu turno, não traz samples (salvo pelo canto dos marinheiros em ‘Candyman’) e foi gravado todo com instrumentais ao vivo em estúdio, na presença de bandas e orquestras.

Negociação frustrada

Apesar de a Sony ter tentado se assegurar de que não teria problemas com direitos autorais sobre as inúmeras samples usadas no disco, não conseguiu escapar de processos judiciais. O primeiro envolveu a sample de “Nearer to You”, usada em Understand. A dona dos direitos da música usada como sample deveria receber 5 centavos por cópia do álbum vendida, mas a Sony parou de pagar dizendo que outra pessoa provou ser dona dos direitos da faixa. O processo terminou em acordo, com a Sony pagando 170 mil dólares para encerrar a discussão. Confusão semelhante envolveu a sample de “Hippy Skippy Moon Strut”, usada em Ain’t No Other Man. A Sony até pagou os direitos autorais, mas outra pessoa entrou na justiça dizendo que pagaram à pessoa errada.

Para sempre Jordan

‘The Right Man’ começou a ser composta como uma faixa triste, que falaria sobre a experiência da Christina em entrar no altar sem ter ninguém para acompanhá-la no lugar do pai. Durante o processo de gravação, enquanto Christina cantava as letras, percebeu que não havia motivos para triste – e assim, retrabalhou a música para deixá-la mais positiva, focando no “homem certo” que estaria ao lado dela dali em diante. A foto que ilusta a página de “The Right Man” no encarte do álbum foi tirada do álbum pessoal de casamento da Christina.

Pepsi

A primeira versão de Here To Stay foi utilizada em um comercial da Pepsi em 2005, contendo tem instrumentais e alguns arranjos vocais completamente diferentes da versão final do álbum – na ocasião, sequer se sabia que Here to Stay faria parte do disco. Uma versão completa da faixa usada no comercial caiu na internet e um trecho pode ser ouvido na nossa tracklist, acima!

Outros nomes

Antes de se tornarem duas faixas, Enter The Circus e Welcome deveriam ser uma única faixa, chamada Welcome To The Circus e, posteriormente, Welcome Song. Understand foi outra faixa que mudou de título: anteriormente, era conhecida e registrada como Understanding. Makes Me Wanna Pray, originalmente, era só Pray.

Concurso

As vozes dos fãs em Thank You foram escolhidas por meio de um concurso lançado no site oficial da Christina, que originalmente planejava colocar só 5 vozes na música. O número de áudios recebidos foi tão grande que Christina acabou deixando esse limite para lá.

Rapidinha (1)

Back In The Day foi o primeiro título que todo mundo conheceu do álbum: em 2005, Christina foi flagrada com o disco de faixas demo da música na mão, enquanto saía de um estúdio. O disco tinha escrito, em letras bem visíveis, “Back In The Day” na capa. DJ Premier também falou da faixa logo no começo do processo de gravação do álbum, contando que ela estava sendo considerada para ser single, e que foi uma das músicas com batidas mais rápidas que ele já produziu: 100 batidas por minuto.

Rapidinha (2)

“Ain’t No Other Man” tem ainda mais velocidade que Back In The Day: São 127 batidas por minuto. Também no início da produção, Premier disse que “uma música com 127 batidas a cada minuto seria o primeiro single” do álbum. Quando Christina convidou o programa TRL para tocar trechos de algumas músicas no começo de 2006, essa marcação podia ser vista no painel de controle do estúdio enquanto “Ain’t No Other Man” tocava. Assim, os fãs descobriram que essa deveria ser o single que Premier falava. Fãs: jamais subestime nosso poder de investigação. A música foi escrita no começo de 2005, tão logo Jordan pediu Christina em casamento.

Whiskey

“Save me from myself” tem um som peculiar para Christina, e não é à toda: ela bebeu whisky antes de gravar para conferir uma rouquidão peculiar à seu timbre mais silencioso. Sacrifícios, você vê por aqui.

Tirando os Grammy da prateleira

Christina disse que, durante a gravação do álbum, escondeu todos os prêmios que já havia ganhado até lá. Sua intenção era tirá-los do alcance dos olhos para gravar este álbum com a mesma vontade que ela tinha antes de conquistá-los.

Kit especial de lançamento

Edições especiais