Stripped (Álbum)


[column size=”one-third”] [/column] [column size=”one-third”]

Stripped é o segundo álbum principal de Christina, e primeiro no qual ela detém controle criativo total sobre o conceito e a gravação, desde a seleção de faixas, composição e produção do vocal. Gravado quando ela tinha 20 e 21 anos de idade, o disco mistura gêneros e ritmos diversos, estabelecendo uma base pop com influências de rock, R&B, hip-hop, soul, latina, blues e rap em suas mais de 20 músicas. As canções são estabelecidas como um diário e falam sobre diversos aspectos da vida de Christina: a fama (como nos interlúdios “Stripped”), preconceitos da sociedade (como em “Can’t Hold Us Down”), começo e fim do relacionamento com Jorge Santos (o centro do disco), auto-estima (“Beautiful”, “The Voice Within”, “Make Over” e “Singin’ My Song”), traição profissional (“Fighter”) e violência doméstica (“I’m OK”). O álbum apresenta tom, sonoridade e imagens nitidamente mais pesados do que o anterior e representou o rompimento de Christina com sua base pop comercial. Apesar da existência de faixas com teor sexual, o título do álbum (“Despida”) tem conotação emotiva. Sucesso comercial e de crítica, “Stripped” se consolidou como o trabalho mais longevo de Christina e um marco na música pop americana.

[/column] [column size=”one-third” last=”true”]

Lançado em 29/10/2002
Segundo álbum de estúdio
Duração 77:34 min
Produção Executiva: Ron Fair & Christina Aguilera
Fotografia por Miranda Penn Turin
2º lugar na Billboard 200
79 semanas na Billboard 200
Aprox. 11,7 milhões de cópias vendidas
« My Kind of Christmas (2000)
» Back to Basics (2006)

grammy_indicadoIndicado ao Grammy de Melhor Álbum Pop com Vocais (2004) grammy_indicadogrammy_ganho

[/column][hr]

[column size=”one-half”]

Tracklist (Edição comum)

  1. 1. Stripped intro Stripped 0:20
  2. 2. Can't hold us down (feat. Lil' Kim) Stripped 0:20
  3. 3. Walk away Stripped 0:20
  4. 4. Fighter Stripped 0:20
  5. 5. Primer amor (Interlude) Stripped 0:20
  6. 6. Infatuation Stripped 0:20
  7. 7. Loves embrace (Interlude) Stripped 0:20
  8. 8. Loving me 4 me Stripped 0:20
  9. 9. Impossible Stripped 0:20
  10. 10. Underappreciated Stripped 0:20
  11. 11. Beautiful Stripped 0:20
  12. 12. Make over Stripped 0:20
  13. 13. Cruz Stripped 0:20
  14. 14. Soar Stripped 0:20
  15. 15. Get mine, get yours Stripped 0:20
  16. 16. Dirrty (feat. Redman) Stripped 0:20
  17. 17. Stripped pt. 2 Stripped 0:20
  18. 18. The voice within Stripped 0:20
  19. 19. I'm ok Stripped 0:20
  20. 20. Keep on singin' my song Stripped 0:20

[/column]

[column size=”one-half” last=”true”]

Outras edições e lados-b

  1. 15. Dame lo que yo te doy Stripped (Espanha e América Latina, exceto Brasil) 0:20
  2. I will be Inédita/Lado-B 0:20
  3. That´s what love can do Inédita/Lado-B 0:20
  4. Fighter (Original Demo) Faixa demo/não finalizada 0:20

[/column]

  • “Get Mine, Get Yours” foi substituída pela versão em espanhol “Dame lo que yo the doy” em países de língua espanhola.
  • “Keep on singin’ my song” contém uma outro escondida, onde Christina e produtores brincam e declaram o encerramento do álbum.

[hr]

[column size=”one-half”]

Participações especiais

Lil’ Kim na faixa Can’t Hold Us Down
Dave Navarro na guitarra em Fighter
Alicia Keys no piano em Impossible
Redman na faixa Dirrty

[/column]

[column size=”one-half” last=”true”]

Samples

Stripped Intro contém trechos de entrevistas cedidas pela MTV Networks
Can’t Hold Us Down contém samples de “Can’t Nobody Hold Me Down’, de P. Diddy.
Make Over contém samples de “Overload”, de Sugababes [Veja Curiosidades]
I’m OK
 contém samples do filme “Eclipse Total” (Dolores Claiborne)

[/column]

[hr]

Singles

[column size=”one-fifth”]

Dirrty
Lançada em 16/09/2002

[/column][column size=”one-fifth”]

Beautiful
Lançada em 24/12/2002

[/column][column size=”one-fifth”]

Fighter
Lançada em 03/06/2003

[/column][column size=”one-fifth”]

Can’t Hold Us Down
Lançada em 03/06/2003

[/column][column size=”one-fifth” last=”true”]

Cover_Voice_Within
The Voice Within
Lançada em 23/12/2003

[/column]

[hr]

Bastidores e curiosidades

As excluídas

São títulos de músicas descartadas do Stripped, que nunca vazaram ou talvez sequer tenham sido gravadas: Miss Independent (posteriormente gravada por Kelly Clarkson), Under Her Spell, Find Myself Again, Hold Me One Last Time e I Know You’re Listening (essas, compostas por Christina e parceria com Matt Morris, de “The Voice Within”), Sign Your Name (o potencial primeiro single), At Last e I prefer You (essas duas últimas, covers de Etta James). Além dessas, algumas descrições datadas de 2001 também nunca foram ouvidas: Tha Sh!t, 8 Tracks e Rhode Ideias – todas aparecem no tourbook da Stripped Tour. Pode ser que essas duas últimas apenas se refiram a descrição de algum dos CD demos.

Quase excluída

Christina disse à revista Rolling Stone, em 2002, que quase não incluiu Get Mine, Get Yours no álbum por ser a única faixa gravada que não trazia nenhum conteúdo pessoal ou íntimo. A música acabou se tornando uma das favoritas do fãs e fez parte da setlist da turnê Stripped.

Primeiro single (1)

Christina confessou no especial “I’m Not Your Puppet” da MTV que o primeiro single do Stripped se chamaria ‘Sign Your Name’, um cover que ela diz ter regravado de forma “muito sensual”. Ela fez essa declaração em fevereiro de 2002, muito antes de Dirrty ter sido criada mas quando grande parte do álbum já havia sido escrita e gravada. Até hoje nós não sabemos se a música chegou a tomar forma. Presume-se que ela foi produzida por Dallas Austin, assim como as demais faixas descartadas do álbum.

Primeiro single (2)

As primeiras tracklists do Stripped não traziam Dirrty na relação das músicas. Na verdade, o single foi uma das últimas faixas a serem criadas e gravadas, assim como Get Mine Get Yours. Quando o álbum estava quase pronto, Christina optou por procurar um primeiro single fora do material que já havia finalizado, pois, dentre o material intimista que ela já havia gravado, não tinha nenhum som de impacto suficiente para anunciar o novo álbum e promover a ruptura de imagem com seu disco de estreia. Ela buscou uma música com uma batida similar à do single Let’s Get Dirty, de Redman, muito popular na cena hip-hop da época. Por isso, ela chamou o mesmo produtor, Rockwilder, para ajudar na música que abriria seu segundo álbum. As batidas ficaram tão semelhantes que Christina acabou chamando Redman para participar da faixa dela.

Sem espaço para Dallas

O produtor Dallas Austin trabalhou com Christina no começo do processo criativo de Stripped e, supostamente, produziu com ela grande parte do álbum. Esse material foi todo descartado depois do fim do turbulento relacionamento amoroso de Christina com Dallas, que sequer chegou a ser descoberto pela imprensa na época. Pode ser que ele tenha sido o produtor responsável por Under Her Spell e Sign Your Name, o que explicaria o motivo de duas faixas tão importantes a ponto de serem consideradas como single não fazerem parte do álbum.

Imperfeita

Todo o vocal principal de Beautiful é da faixa demo da música, gravada já na primeira vez que Christina cantou a canção em um take único, sem cortes. Christina gravou esse take na casa de Linda Perry e ao lado de uma amiga, apenas no intuito de demonstrar o que tinha planejado para a música. Tímida por ser a primeira vez que ela cantava a faixa, pediu para que a amiga não a olhasse gravando. Esse pedido é o ‘don’t look at me’ que abre a música e que eles optaram por deixar na versão final, já que tem tudo a ver com a mensagem da letra: superar inseguranças. Linda não iria dar Beautiful a nenhuma cantora e já havia recusado a faixa à Pink, com quem trabalhou antes da Christina no álbum “Missundaztood”. Linda disse que ver a Christina cantando a música, depois de muito insistir, mostrou a ela que Christina era a pessoa perfeita para a canção. Foi uma quebra nos planos das duas: Linda planejava usar a faixa como sua música de retorno aos palcos (ela desistiu da volta depois disso), enquanto Christina havia prometido que não usaria no álbum nenhuma música escrita por outra pessoa. No entanto, a letra gravada por Christina é diferente da versão originalmente composta por Linda Perry, que era ainda mais pessoal. Ela alterou a composição para que Christina pudesse gravar.

Outros nomes

Algumas músicas foram registradas ou eram conhecidas originalmente pelos seguintes nomes: ‘Home’ e ‘Lullaby’ viraram ‘I’m OK’. ‘Alicia Song’ referia-se a ‘Impossible’, antes de ter um título. ‘Latin Track’ era como ‘Infatuation’, também sem nome, era chamada. ‘Make Over’ teve dois nomes: ‘Make Me Over’ e depois ‘Make Me Over, Don’t Make Me Over’. ’The Voice Within’ não tinha o ‘The’ e ‘Underappreciated’ se escrevia ‘Under Appreciated’.

Sempre 20

Nenhuma versão do Stripped foi lançada com faixas bônus, apesar de existirem ao mesmo duas músicas finalizadas que não integraram a tracklist final. Os países de língua espanhola não têm a versão em inglês de Get Mine Get Yours. Nesses países, a faixa foi substituída pela versão em espanhol, “Dame Lo Que Yo Te Doy”.

Vazamento

Uma faixa-demonstração de Fighter quase sem produção vazou no começo de 2002 e ainda pode ser encontrada na internet (um trecho pode ser escutado logo acima, na nossa tracklist de inéditas). Por causa dos vocais, em alguns lugares ela está listada sob o nome ‘Fire’. A música só tem, basicamente, o fundo de guitarra acompanhando os versos.

I’m OK

Alguns takes de “I’m OK” foram gravados com Christina deitada no chão, para tentar fazer a música fluir melhor. Ela precisou ser regravada várias vezes pois Christina chorava enquanto a cantava. A versão que está no álbum, que também foi gravada em meio à lágrimas, foi cantada do início ao fim, sem nenhuma edição posterior em estúdio ou recortes de outros takes. Para preservar o sentimento da música, Christina confessou que não tinha planos para cantá-la ao vivo, exceto em alguma ocasião muito especial (veio a fazê-lo somente em 2010, no especial “Storytellers” da VH1).

Eve

Um dos maiores mistérios que envolve o conturbado processo de gravação do Stripped envolve o single “Can’t Hold Us Down”, uma das primeiras músicas a ser gravada. A primeira versão da faixa foi gravada com a rapper Eve, e não com Lil’ Kim, que aparece na versão final. A colaboração com Eve não foi apenas confirmada (pela própria rapper, inclusive!) como também chegou a ser produzida. Por motivos que ninguém sabe, o álbum foi lançado com a Lil’ Kim de surpresa em seu lugar. Em um dos club remixes de Can’t Hold Us Down, é possível ouvir alguém similar à Eve dizendo “Christina Aguilera”, no lugar dos vocais de Lil’ Kim.

Sugababes

Christina e Linda Perry foram acusadas de plágio pelo grupo Sugababes, que alegava que ‘Make Over’ copiava a música ‘Overload’, lançada por elas algum tempo antes. Como consequência da acusação e do processo que se instaurou depois disso, o registro da faixa da Christina na ASCAP foi retificado para incluir os compositores de Overload. Essa disputa fez com que a performance de Make Over ficasse de fora do DVD ‘Stripped: Live In The UK“, já que parte dos direitos autorais ainda estava em discussão.

A primeira

A balada ‘I Will Be’ foi escrita por Christina e Heather Holly (“Obvious” e “Soar”) pelo menos no primeiro semestre do ano 2000, antes mesmo de Christina começar a turnê do primeiro álbum. Ela já falava da música na edição de junho daquele ano na revista Rolling Stone, revelando que os sentimentos de insegurança e aprisionamento que marcaram as letras do Stripped já existiam muito antes de a maratona promocional do disco de estreia começar. A música acabou ficando de fora do álbum, mas fez parte da tracklist do CD single de Dirrty.

Walk Away

Ao que indicam as anotações de uma das fotos do tourbook da Stripped Tour, Walk Away já estava gravada desde agosto de 2001, mais ou menos na época do lançamento de Lady Marmalade – ou seja, mais de um ano antes do lançamento do álbum. Essa data deixou todo mundo confuso quanto ao conteúdo da música, que revela um relacionamento viciante mas perigoso, já que Christina ainda estava namorando o dançarino Jorge Santos, seu primeiro namorado, na época de sua gravação.

Independente

O sucesso “Miss Independent”, de Kelly Clarkson, foi originalmente escrito por Christina para o Stripped, mas ela optou por descartá-la da tracklist durante o processo de gavação. Sem autorização de sua compositora originária, a faixa foi concedida por executivos à Clarkson, que integrava a mesma gravadora. Christina só ficou sabendo que sua música havia sido lançada por outra cantora quando a escutou na rádio.

[hr]

Edições especiais

[column size =”one-third”]

[/column][column size =”one-third”]
Limited Edition DVD
2002 (Estados Unidos)

O “Limited Edition DVD” é a primeira edição limitada do álbum Stripped, hoje considerada raríssima, que contém uma curiosa peculiaridade: não inclui o álbum Stripped. Na embalagem de um CD convencional mas lançado somente em DVD, essa edição especialtraz os programas gravados e transmitidos pela MTV na época de lançamento do álbum, com detalhes dos bastidores de gravação e preparação do discos, além de algumas performances ao vivo exclusivas para o canal. São eles os especiais “MTV TRL Presents: Christina Aguilera Stripped In NYC” (que na tracklist aparece com o equivocado nome “Stripped In the City”), o “MTV Diary” e o “Making The Video” de Dirrty e o clipe da música.[/column][column size =”one-third” last=”true”]

Tracklist

DVD

1. MTV Diary of Christina Aguilera
2. MTV Stripped in the city
3. MTV Making the video: Dirrty
4. Dirrty

[/column]

[column size =”one-third”]

[/column][column size =”one-third”]

Limited Edition DVD Bonus Pack
2004 (Nova Zelândia)

Cerca de dois anos após o lançamento do álbum Stripped, o disco ganhou sua segunda edição limitada que, hoje, também é raríssima. Vendida somente na Nova Zelândia, a versão vem com um CD e um DVD com todos os clipes dos álbuns Christina Aguilera e Stripped, os únicos dois principais álbuns de Christina lançados até então. A tracklist do DVD coloca os clipes em ordem cronológica, com exceção de I Turn To You e Come On Over Baby, que, por algum motivo, estão com a ordem invertida. Hoje, essa edição é considerada um valioso e disputado item de colecionador entre os fãs.[/column][column size =”one-third” last=”true”]

Tracklist

CD: Contém as 20 faixas do álbum “Stripped
DVD:
1: Genie in a bottle
2. What a girl wants
3. Come on over baby (all I want is you)
4. I turn to you
5. Dirrty
6. Beautiful
7. Fighter
8. Can’t hold us down
9. The voice within

[/column]

[hr]

Edições regionalizadas

[column size =”one-third”]

[/column][column size =”one-third”]

Versão censurada (Arábia Saudita)

Não, a capa ao lado não é uma brincadeira: os álbuns lançados na Arábia Saudita comumente passam por uma série de censuras e edições  para que sejam adequados à cultura local; isso, quando não são censurados na íntegra. Além de uma série de edições precárias no Photoshop, cobrindo todo pedaço de corpo exibido de forma “inadequada” na versão original, o conteúdo do álbum também passou por aprovação prévia, o que acabou atrasando seu lançamento no país. Sem músicas com letras mais “ousadas”, como Dirrty ou Get Mine, Get Yours, esta versão editada conta somente com 14 das 20 faixas do álbum.[/column][column size =”one-third” last=”true”]

Tracklist

01. Stripped (Intro)
02. Walk Away
03. Fighter
04. Primer Amor (Interlude)
05. Loves Embrace (Interlude)
06. Impossible
07. Underappreciated
08. Beautiful
09. Make Over
10. Cruz
11. Soar
12. A Voice Within
13. I’m OK
14. Keep On Singing My Song

[/column][column size =”one-third”]